Ciclos de Estudo, Em Foco

EM FOCO: Boas Práticas em TI – Blameless Postmortems

Dando continuidade às “boas práticas em TI”, vamos conversar sobre outro assunto que, frequentemente, gera transtornos e incômodos no ambiente de trabalho.

Em TI, é comum que haja algum erro em código ou em algum detalhe, que acaba interferindo na execução do programa completo. Além disso, também pode haver erro em máquinas, servidores, entre outros. O erro é comum, o difícil é aceitá-lo.

Programadores se sentiam extremamente mal ao errar e acabavam perdendo a oportunidade de aprender com o erro, discuti-lo em equipe e trocar experiências.

Por isso, a cultura blameless vem reforçar que “a culpa não é sua” e é possível aprender continuamente com os erros.

Ps: ao fim do post, inseri um vídeo e também algumas sugestões de leituras para quem tiver mais interesse no assunto, mas não são obrigatórias, apenas complementares.

Aprendizagem contínua, cultura livre de culpa e Blameless Postmortems

aprendizagem contínua e a cultura livre de culpa são dois aspectos culturais que as organizações devem compreender melhor na adoção do DevOps. E como fazer acontecer? Como construir respeito e confiança, eliminando a culpa e hostilidade? Para que as pessoas sintam-se confortáveis para trabalhar juntas.

Trust Blockers:

  • Falta de contexto
  • Objetivos conflitantes

As organizações precisam evoluir com o auto diagnóstico e aperfeiçoamento. E assim, falhas ou problemas significa resolver e compartilhar os efeitos, tornando a resolução disponível para todos na empresa. Este sistema dinâmico nos permite assumir e aprender com os erros para evitar recorrências.

“Quando as respostas a incidentes e acidentes são consideradas injustas (buscando culpados), isso pode impedir investigações de segurança, causando medo, tornando as organizações mais burocráticas ao invés de mais cuidadosas, e criando segredos e autoproteção”.

Blameless Postmortems

É uma reunião que acontece (se possível) em até 48 horas após o incidente, visando identificar as falhas no processo para corrigi-las. Deixe um terceiro para executá-la. Blameless é não culpar as pessoas pessoas pelas falhas, sabendo das responsabilidades inerentes da função.

Algumas recomendações para a comunicação Postmortem:

  1. Admita a falha
  2. Soa como humano
  3. Tenha um canal de comunicação
  4. Seja autêntico

E um roteiro recomendado para a reunião é o seguinte:

  1. A descrição do incidente
  2. A causa raiz
  3. Como o incidente foi estabilizado ou corrigido
  4. Um timeline dos eventos, incluindo todas as ações realizadas
  5. Como o incidente afetou os usuários
  6. Remediações e ações corretivas

As técnicas do 5 Porquês (5 Whys) e o Diagrama de Ishikawa ajudam na análise da causa raiz e efeito dos problemas.

fishbone-ti

Fonte:

Aprendizagem contínua, cultura livre de culpa e Blameless Postmortems
<< https://leonardo-matsumota.com/2019/02/14/aprendizagem-continua-cultura-livre-de-culpa-e-blameless-postmortems/ >>

Outras leituras sugeridas:

Blameless: A culpa não é sua
<< https://www.fernandoike.com/2017/08/21/blameless-a-culpa-n%C3%A3o-%C3%A9-sua/ >>

Blameless Postmortem
<< https://www.fernandoike.com/2017/09/07/blameless-postmortem/ >>

Análise e lições do Postmortem da Gitlab
<< https://www.linkedin.com/pulse/an%C3%A1lise-e-li%C3%A7%C3%B5es-do-postmortem-da-gitlab-fernando-ike >>

How SRE Creates a Blameless Culture
<< https://devops.com/how-sre-creates-a-blameless-culture/ >>

Publicidade

Um comentário em “EM FOCO: Boas Práticas em TI – Blameless Postmortems”

  1. Nossa Gio esses posts instigaram a minha curiosidade a querer aprender mais sobre os assuntos abordados! Acho que poderia ser uma série de uns 100 posts hein?!!!!😊
    Este é um assunto que tenho pontuado já faz algum tempo, onde tento demostrar o quanto é importante compartilhar informações inclusive os erros para que possamos aprender juntos. Sem culpados e nem julgamentos, somente com o objetivo de crescermos em conjunto e também para o desenvolvimento
    da percepção das responsabilidades individuais que temos e de que elas afetam a todos como equipe. Já demos o pontapé inicial com nossas reuniões periódicas e trocas de experiências diárias agora é só evoluir!!!!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s